Haldor

Guerreiro bárbaro das regiões montanhosas do norte.

Description:

Fighter level 1

STR 20

CON 16

DEX 14

INT 13

WIS 15

CHA 13

HP 31

AC 17

FORT 18

REFLEX 13

WILL 13

INITIATIVE 2

SPEED 5

PASSIVE INSIGHT 12

PASSIVE PERCEPTION 12

Weapon Talent: Two handed weapons.

Skills trained: Athletics, Endurance, Heal, Intimidate

Feats: Power Attack, Action Surge

At will Powers: Cleave, Sure Strike, Reaping Strike

Encounter Power: Passing Attack

Daily Power: Comeback Strike

Bio:

Em uma sala úmida e silenciosa, iluminada por velas:

- Então Verme, o que descobriu sobre o nosso amigo hein?

- Muito milorde. Foi mais fácil do que eu esperava. O tal homem falava muito e falava alto quando bebia. Ele era exatamente quem estávamos procurando milorde, um mercenário errante, um ladrão e assassino, e de grande capacidade posso lhe dizer, sim, sim. Na noite que estive na taverna, ele falou muito sobre seu último trabalho, como havia passado a perna em seus tolos colegas e levado a melhor no fim. “Ladrões espertos não dividem espólio” ele falou rindo. Como lhe disse milorde, ele era exatamente o tipo que precisávamos, sim, sim!

- Ótimo Verme, tome uma larva! Agora me fale, entrou em contato com ele? Fez-lhe a proposta? Aliás, por que me contou a história no tempo passado hein, o nosso homem já partiu da cidade? Você falhou em sua missão hein?

- Não, não milorde. Juro que não falhei em minha missão, deixe-me contar tudo, sim, sim. Como ia dizendo, o nosso amigo ia se gabando de seus últimos feitos de ladroagem e esperteza. “Ladrões espertos não dividem espólio” ele anunciou rindo e bebendo, mas antes de terminar sua caneca, um estrondo calou até os bêbados da taverna. A porta estava no chão e um gigante estava parado do outro lado. Por alguns segundos, todos aguardaram pra saber o que ia acontecer, menos o nosso amigo, que largou a caneca e correu em direção de uma das janelas. Mas o gigante surpreendentemente pulou para dentro da taverna milorde, por cima das mesas, rápido como um tigre. Ninguém esperava que um homem tão grande pudesse ser tão rápido milorde, não, não. Quando me dei por si, estava escondido debaixo da minha mesa de pavor. O gigante bronzeado agarrou nosso amigo pelo pé com uma mão, e com a outra, quebrou seu pescoço como um galho seco, sim, sim.

- Um gigante bronzeado, hein? Provavelmente um bárbaro das regiões montanhosas do norte. Das tribos Cymric se me lembro bem das lendas. Se você não estiver me contanto lorotas, Verme, claro. Esses tipos não costumam viajar para o sul. O que sabe desse gigante? Poderia ele se tornar nosso novo amigo, hein?

- Não, não milorde. O tal bárbaro é mais fera selvagem do que homem. Não me pareceu ser do tipo que obedece ordens ou se curve à alguém. Imprevisível e perigoso, sim, sim. Como ele entrou na taverna e deu cabo do nosso amigo, por Vecna! Só sei que depois do acontecido, o gigante saiu pela mesma porta pela qual entrou, do mesmo jeito, rápido como um tigre, e sumiu na noite como um fantasma, antes da guarda chegar, sim, sim. Só ouvi dizer depois, pelas conversas na taverna, que seu nome era Haldor, e que era melhor não ficar em seu caminho.

Haldor

O retorno dos grandes heróis ainatan